Respeitável público: O Grande Circo chegou!!!

Sábado, dia 05 de agosto de 2017, saio de casa por volta das 08h da manhã, em direção à padaria, como de costume aos finais de semana, e o que vejo é um verdadeiro cenário de guerra no bairro. Muitos militares das forças armadas, da força nacional de segurança e das polícias federal e militar do Estado do Rio de Janeiro fortemente armados, viaturas militares, mini tanques de guerra, helicópteros sobrevoando a área etc… Todo esse aparato militar de guerra espalhado pelas ruas do Lins e Méier.

Por Marcelo Bitteti Siqueira*

Em cada esquina, transeuntes homens, mulheres e, até mesmo crianças, tinham que apresentar documentos e eram revistados. Bolsas, sacolas, malas e mochilas eram revirados. Ônibus eram parados, os passageiros obrigados a descer para procedimento de revista.Da mesma forma, os que circulavam em carros e motos também eram parados para revista. Nas proximidades das comunidades, o aparato era maior e mais ostensivo ainda. Tudo isso, visando combater o crime organizado, o tráfico de drogas, o roubo de cargas, enfim, combate à violência de maneira geral no estado do Rio de Janeiro, em nome da segurança pública.

Respeitável público: O Grande Circo chegou! Um espetáculo para mídia golpista e sensacionalista, já que nada disso tem a ver com segurança pública. Essa é mais uma medida de exceção ditatorial extremamente cara e paga com o dinheiro dos contribuintes, vítimas dessa medida opressora. Dinheiro público jogado fora, já que essa política do confronto, adotada há anos, não resolve o problema da violência, da criminalidade, da marginalidade.

Dinheiro gasto lá, faz falta para ser utilizado na promoção de políticas públicas de moradia, alimentação, saúde, educação e cultura, infraestrutura e saneamento básico, etc… Políticas de geração de emprego e renda, de distribuição de renda e de inclusão social. Ou seja, recursos para o Estado atuar na promoção das condições mínimas necessárias para que a população possa viver com dignidade, conforme previsto na Constituição Federal de 1988. Isso sim resolveria o problema da violência, da criminalidade.

Mas, hoje vigora o(des)governo golpista e ilegítimo de Temer e de seus comparsas no Congresso Nacional, com apoio da mídia golpista (liderada pela Globo), que age contra o povo, principalmente os mais pobres. Um (des)governo a serviço da classe dominante afortunada. A emenda constitucional 95/2016 (que limita os gastos públicos nas áreas fundamentais – moradia, alimentação, saúde, educação, etc…), a lei da terceirização, a reforma trabalhista (sancionada recentemente), a proposta de reforma previdenciária (ainda em tramitação no congresso nacional) e outras, são medidas para garantir a renda, o lucro e a acumulação de patrimônio cada vez maior dos mais ricos e privilegiados – os rentistas, os banqueiros, os latifundiários, os “capitães da indústria”. E para o povo e para a classe trabalhadora:aumento da exploração, redução de salários, perda de benefícios, precarização das condições de trabalho, pobreza e miséria. Neste contexto, consequentemente, aumentam os índices de violência. Pode-se concluir que a criminalidade e a violência são produtos desse projeto de destruição, já em andamento, do (des)governo golpista de Temer.

E para conter essa violência e criminalidade, a classe dominante rica, para garantir o seu patrimônio e a sua paz, exige a presença de um Estado forte e violento para oprimir e reprimir os excluídos.Para fazer “limpeza étnico-social”. Então, arma-se todo esse circo militar para cumprir esta missão.

Respeitável público: o grande circo chegou! Só que os palhaços somos nós.

*Militante do PCdoB Méier

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s